Figurino Sissi (1957) | Terceiro filme

 E hoje falaremos sobre os figurinos do último filme sobre Sissi (1957) baseada na vida da Imperatriz da Áustria, Elisabeth interpretada pela atriz Rommy Shineider. Uma história estilo contos de fadas, baseada em fatos reais em pleno século XIX (dezenove). 


Sissi (Romay Shineider) vestido de baile

  • Quem foi Isabel da Baviera ou Elisabeth da Áustria?

E caso você não tenha visto os posts anteriores que fizemos sobre os primeiros filmes Isabel da Baviera (região que hoje seria a Alemanha), era uma princesa que aos 15 anos chamou a atenção do pretendente de sua irmã mais velha, o imperador Franz Joseph e ele opta por se casar com ela. 

O primeiro filme conta esta história e o segundo o nascimento da primeira filha do casal e os problemas da Sissi com a sogra.

 Após o casamento ela passa a se chamar Elisabeth da Áustria, porém ficou popularmente conhecida como Sissi, uma mulher a frente do seu tempo, interessada por produtos de beleza, tratamentos e esportes, ela também era apaixonada pelo mar. 

A equitação ou montaria era visto como um exercício físico, da época cujo mulheres também praticavam, logo não é nenhuma loucura da protagonista, agora dar água aos cavalos usando um vestido de passeio como foi retratado no primeiro filme já não era o costume da época. Abaixo um look usado para andar a cavalo. 


Sissi (Rommy Shineider) roupa equitação

 
Os três filmes são romances da década de cinquenta baseados em fatos reais sobre ela. A atriz que a interpreta Rommy Shineider tinha apenas 17 anos quando foi selecionada para o papel. Após o primeiro filme ela não queria interpretar mais a princesa porém foi convencida, dizem que após o terceiro filme, haviam rumores da produtora ter interesse em uma quarta continuação, porém a atriz se recusou a viver Sissi novamente. 

  • Fatos reais no filme 
E este último filme seria um drama romance, os acontecimentos retratados são mais próximos da vida real da verdadeira Sissi. 

Sua dificuldade com as obrigações de monarca, a pressão por um herdeiro (não retratado nos filmes porém existia), problema de pulmão (que poderia ser um início de tuberculose, doença sem cura na época) e uma depressão profunda que a acompanhou durante a vida, há quem diga que certos problemas de saúde dela deveriam ter causas emocionais. 

Ela realmente viajou para a Ilha da Madeira, na época era muito comum pessoas com tuberculose ou problemas de pulmão irem para este lugar, sua viagem para Grécia também não é ficção. Na realidade Sissi fumava, pois acreditava que isso a ajudaria a emagrecer (fato real) o que poderia ter contribuído para seus problemas de pulmão, mal sabia ela que cigarros são péssimos para pele. 


Sissi (Romy Shineider) e a mãe cena do filme



Sua paixão por cavalos foi retratada nos filmes, inclusive neste, o mar (ela era totalmente fascinada por este) apenas mencionado nesta última história brevemente. 

O afastamento dela da filha é fato real seus dois primeiros filhos foram criados pela sogra, a Sophie menina do filme, acaba falecendo durante uma viagem acontecimento histórico que não foi retratado nesta história. 


Filme Sissi (1957) Sissi passeando


 A cena das mulheres "turistando" pelas ruínas gregas com aqueles vestidos rodados é ótima, o look da Sissi (Rommy Shineider) é o da imagem acima. 


cena grécia filme Sissi 1957


Mesmo com o drama da sua doença, afastamento da família, os figurinos são maravilhosos, Sissi foi uma influenciadora de moda da época. E seu marido apesar de fazer todas as suas vontades, deixou a mãe criar os filhos deles,  após dar um filho homem ao império ela decide parar de ter filhos e viver a vida da sua maneira.

 A viagem dela para Hungria é fato real, ela chegou a morar lá com sua filha caçula Maria Valéria (sem o marido) e dizem que após dez anos sem ter filhos, quis ter mais um com a intenção de dar um futuro rei para a Hungria (caso fosse um menino). 

E fato interessante sobre o look abaixo é que a verdadeira Sissi realmente tinha o costume de cobrir o rosto, depois dos trinta anos ela decidiu não ser mais retratada ou vista, logo começou a usar um véu para, que ninguém a visse ou soubesse que ela estava envelhecendo, no caso esta história retrata os primeiros anos de casamento de Sissi e Franz, o fato dela gostar de se fantasiar de plebéia explicaria o lenço em seu rosto, neste filme. 


Sissi (Rommy Shineider) rosto coberto


  • Sissi e a mulher da década de 50

Franz Joseph era apaixonado pela esposa, fazendo todas as suas vontades assim como no filme, onde ele é retratado como o "marido perfeito", apesar da protagonista ter vivido em 1853, na década de cinquenta o casamento ainda tinha grande importância assim como  nos tempos da Sissi, como ela era uma princesa teve acesso a educação aprendendo vários idiomas, estudando história e geografia.

 Na década de cinquenta as mulheres já tinham acesso ao ensino médio e apesar de algumas faculdades aceitarem alunas, ter ensino superior era algo inacessível para grande maioria. 

Na época deste filme (século dezenove)  apenas princesas ou moças da nobreza teriam acesso à educação, as primeiras mais que qualquer outra.

Nos anos 50, o casamento era o grande evento da vida de qualquer jovem, além dos filhos e afazeres domésticos, devido a isso a imagem do marido dos sonhos é retratada nos filme e faz sentido. 

Outro grande sucesso romântico Cinderela (desenho da Disney) também foi lançado no anos cinquenta. 


Sissi (Rommy Shineider) cena baile 1957


Sissi realmente era uma mulher muito bonita, alta e magra, mesmo após três filhos se manteve esbelta pesando 50 kg ao longo de sua vida, tratamentos malucos foram adotados pela verdadeira Imperatriz na busca de manter-se em forma. 

 Ao todo ela teve quatro filhos sendo três meninas (uma faleceu) e um menino, há uma cena no filme onde uma cigana diz que ela teria três crianças (referindo-se as que sobreviveram talvez) e que não queria estar no lugar dela, pois sua sorte era triste e realmente foi. 

Os três filmes são maravilhosos e inspiram-se no mito da Imperatriz da Áustria, apresentando uma Sissi em moldes de contos de fadas, para alguém que nunca ouviu falar dela vale a  pena assistir os filmes, porém estes nos pouparam das tragédias que cercaram a imagem dela, assuntos que ficarão para outro dia, afinal foi a vida desta jovem extraordinária que não abriu mão de seus desejos devido a uma coroa, que faz a imagem de Sissi e os filmes desta trilogia uma excelente opção. 

E antes que alguém pergunte, o figurino abaixo apesar de ser branco não é vestido de noiva, o casamento dela ocorreu no primeiro filme e o branco no século XIX (dezenove) estava muito mais relacionado a realeza do que a Noivas, por ser uma cor muito difícil de se manter, ter um vestido branco era trabalhoso na época e também conseguir tecido desta cor, não era uma tarefa fácil. Sendo incomum para época tecidos brancos, ainda neste século com a Revolução Industrial e a chegada das máquinas, as coisas mudaram. 

Seria um look de Rainha ou Imperatriz, eles estão em Viena e são mal recebidos pelo povo, apenas o carisma e encanto de Sissi (Rommy Shineider) conseguiu mudar isso.  Assistam o filme para entenderem melhor. 


Sissi (Rommy Shineider) final do filme 1957



Aliás dezembro é o mês de seu aniversário, ela nasceu na véspera do Natal o que tornaria este post uma bela homenagem. 


Veja os figurinos dos outros filmes Sissi (1955) e Sissi (1956), 

LEIA TAMBÉM: 


Referências fatos históricos:

Canal Paulo Rezutti - Live sobre a Sissi com a pesquisadora Claudia Tomé

Comentários

  1. Essa trilogia é linda mas muito doce não chega perto do quão negro e trágico foi o destino da Sissi ele tem mais graça quando vc é bem novo e não conhece a vida real dela mas se for por Roupas a Romy Schneider arrasou em Ludwig de 1972 de Luchino Visconti a trama era mais fiel à realidade e a Romy estava super elegante como a Elisabeth

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário só ficará visível na página após ser aprovado. Deixe sua pergunta, sempre respondemos nossos leitores.

Tema do Mês