Irmãs Romanovs: Olga Biografia

 E hoje contaremos a biografia da Grã Duquesa Olga Romanov, a filha mais velha do Czar Nicolau II, último rei da Rússia. Uma jovem sensível e inteligente que assim como suas irmãs não teve oportunidade de realizar seus sonhos. 


Olga Romanov foto colorida



Nascimento e Infância 


Olga Nikolaevna Romanov, 22 anos (1895-1918), 1,68 de altura era a primogenita de Nicolau II e Alexandra Feodorovna. 

Durante a gravidez a Imperatriz sonhava em ter um menino (a criança se chamaria Paulo), na Rússia Imperial apenas um homem poderia governar, em outros países como a Inglaterra mulheres poderiam subir ao trono. Esta bendita regra foi "criada" pela mãe de Nicolau II, a imperatriz Maria. 

O parto do nascimento de Olga durou vinte horas, a criança era grande e a intervenção de um médico foi necessária para a menina nascer. 

Mesmo sabendo que a filha jamais poderia subir ao trono Nicolau e Alexandra ficaram encantados com a pequena Olga (que também era o nome de uma das irmãs de do Czar).

Eles chegaram a viajar para o Reino Unido para a Rainha Victória (avó de Alexandra), conhecer a bisneta. 


Olga Romanov fotos



Dois anos depois o casal teve outra menina Tatiana, as quatro filhas do Czar eram conhecidas como o par maior (as mais velhas que também eram mais altas) e o par menor (Maria e Anastasia). 

Olga e Tatiana sempre dividiram o mesmo quarto e podemos dizer que estiveram juntas, até nos últimos momentos de vida. 

Devido aos problemas de saúde da mãe desde depressão, coluna, além da doença do irmão caçula Alexei, que era hemofílico, Olga e as irmãs viviam em uma bolha. 

Com pouco contato com a corte da época, conviviam apenas com os familiares e a guarda real. Das quatro meninas, ela foi a única a atingir a idade adulta. 

Ela é descrita como uma moça séria e de espírito altruísta, com talento para piano. 

Por quê Olga Romanov não se casou ?


As princesas da época  estavam destinadas casamentos políticos, p
orém nenhuma das quatro Grã duquesas, chegou a cumprir este papel. 

No caso de Olga, por ser a mais velha seria a primeira a se casar, pretendentes não faltaram, alguns ela mesmo rejeitou outros seu pai colocou para correr. 

A lista de príncipes que se interessaram pelas meninas, inclusive Olga é extensa. Abaixo alguns deles:

principes que pediram a mão de Olga foto
Pretendentes de Olga

O príncipe Arthur de Connaught chegou a visita-la com intenção de casamento, o porque deste nunca ter ocorrido, não se sabe (não há registros), o também príncipe Chirstovão da Grécia e da Dinamarca chegou a pedir sua mão em casamento, porém Nicolau II recusou alegando a filha mais velha seria jovem demais, ela tinha 15 a 16 anos na época, a idade para se casar na época era dos 16 aos 22 anos

O herdeiro do trono da Sérvia e da Bulgária, Boris chegou a visitar os Romanovs, com intenção de um futuro enlace com ela, mas ele acabou se interessando mais pela Tatiana que por sua vez não gostou dele.  

O mesmo aconteceu durante a viagem da família a Inglaterra, havia uma suposta intenção da família britânica de ter Olga como esposa do príncipe David (tio da rainha Elisabeth), porém ele também se encantou pela Tatiana.  

Durante um encontro com a família real Romena, havia interesse que o herdeiro do trono Carlos II se aproximasse de Olga ou então de suas irmãs. 

Mas ele não achou nenhuma das meninas Romanov bonitas, sua mãe Maria também não gostou delas. Olga por sua vez, não pareceu querer conhecer melhor o primo. 

Há relatos que um dos pretendentes chegou a fazer um horóscopo de Olga e neste saiu a informação que ela viveria somente até os vinte anos. 

Os pretendentes descritos acima são os mencionados no livro As irmãs Romanovs (da Helen Rapapport) porém se vocês procurarem na internet sobre a Olga, outros príncipes (além destes) também são mencionados como futuros maridos (como o herdeiro da Prússia Adalberto) o que torna a lista de monarcas interessados nela imensa. 

Há rumores que o Grã Duque Dimitri, primo do Nicolau II chegou a ser cotado como marido para Olga, alguns sites sugerem que ambos chegaram a ter uma festa de noivado e depois disso ela o dispensou (informação que nunca foi comprovada por historiadores). 

Acredita-se que Nicolau e Alexandra chegaram em pensar em Dimitri como genro, mas devido a vida boêmia dele e outros rumores, desistiram da ideia, a própria Olga parecia não gostar dele. 

As quatro irmãs Romanovs não queriam se separar, o que seria impossível, uma vez que o mais provável seria que cada uma se tornasse esposa de um monarca de lugares diferentes. 

Há relatos que Olga não queria deixar a Rússia de jeito nenhum, o que explicaria a idéia dela se casar com Dimitri. 

Olga Romanov e Pavel Alekséevicth

No livro As irmãs Romanovs (escrito através de diários e cartas das meninas), é relatado uma possível decepção amorosa, Olga teria se interessado por Pavel um dos oficiais da guarda do pai. 

Eles chegaram até a conversar por telefone, algumas vezes, o rapaz ligava para ela. 


Olga com Pavel e demais soldados
Olga e ao seu lado Pavel 


Pavel se casou com uma moça da corte também chamada Olga e depois deixou seu cargo na guarda.

 Olga e o restante da família foram ao casamento, em seu diário há um relato deste dia, apenas descrevendo que ela conheceu as irmãs do noivo e que eram pessoas adoráveis. Nada a respeito de seus sentimentos por Pavel. 

Há quem acredite que o casamento e o afastamento de Pavel não foram mera coincidência, que os pais da Grã Duquesa, estariam envolvidos neste caso. 

O que acreditamos não fazer sentido, as meninas conviviam bastante com os guardas e funcionários, tanto que tiveram paixonites de adolescentes por estes, afinal eram os únicos rapazes que conviviam em seu circulo de amizades. 

O modo que as quatro meninas eram criadas, era criticado pela família de Nicolau II, que chamavam o comportamento de Alexandra de isolar as meninas do mundo de "a tragédia russa". 

A tia das meninas também chamada Olga, levava as duas sobrinhas mais velhas as vezes para bailes, com a intenção que elas pudessem ter uma vida mais normal (para época). 

Olga e o pai eram bem próximos, conversando várias vezes sobre política, há rumores que Nicolau II havia pensado em preparar Olga, para governar a Rússia, o porque disso nunca ter sido feito, não se sabe. 

É descrita como uma jovem extremamente sensível, ela chegou a trabalhar como enfermeira durante a Primeira Guerra Mundial, junto com a mãe e a irmã Tatiana. 

Neste mesmo período escreveu uma carta de agradecimento a bailarina Mathilda Kshessinska (ex namorada de seu pai), agradecendo por seu trabalho durante a Guerra. 

Ela e a irmã chegaram a ter paixonites por soldados que estavam feridos no Hospital. 


Últimos anos de vida


A Grã Duquesa Olga foi a que mais sofreu com o cativeiro, após a prisão da família a jovem de 22 anos, parecia acabada e envelhecida, no fundo era como se ela previsse o fim que todos iriam ter.

Ao contrário das irmãs ela não conversava com os guardas bolcheviques que vigiavam a família e não obedecia as ordens deles.

 Para irem ao banheiro as meninas precisavam pedir permissão e serem escoltadas até este, o que ela se recusava a fazer. 

Em seu último dia de vida, chegou a dar um passeio ao final da tarde com o pai e as irmãs pelo jardim da casa de Ipatiev (de onde não sairiam vivos), já fazia tempo que ela não saia de casa, estava bem debilitada. 



LEIA TAMBÉM: 


Quando os restos mortais dos Romanovs foram encontrados nos anos oitenta, Olga foi identificada como uma das vítimas, o fato dela ter sido a única das meninas a atingir a idade adulta, foi fato predominante para identificarem suas ossadas. 

Assim mesmo anos após o sumiço da família, uma mulher chamada Marga Boodts surgiu dizendo ser a Grã Duquesa Olga Romanov e que vivia da ajuda do papa e do antigo rei da Alemenha, este por sua vez era primo de Nicolau II e Alexandra. 

Como Maria e Anastasia tinham idades próximas ficou difícil identificar (até hoje há duvidas) qual das duas seria a princesa desaparecida, mas isso é assunto para outro dia. 


Referências: 

Livros: As irmãs Romanovs e Os últimos dias dos Romanovs ambos de Helen Rappaport 

Comentários

Tema do Mês