Figurino: Amat em Gênesis

 E o tema de hoje são as roupas da Amat (Branca Messina) na primeira e segunda fase na novela Gênesis, a esposa de Terá. 


Amat em Gênesis


  • Amat existiu ou não ? 


A principal dúvida a respeito da personagem é se Amat realmente existiu ? 

Não há referências a respeito do nome da mãe de Abrahão, logo o nome da personagem foi criado a partir de documentos referente a tradição judaica.  

Partindo do ponto que Abrahão era um homem com uma fé inabalável e seu pai se perdeu totalmente ao se mudar para  Ur dos Caldeus, Amat foi criada pelos autores da novela representando uma mulher de fé. 

Isso explicaria a origem da fé de Abrahão, mesmo vivendo em um ambiente "idolatra" e mesmo tendo um pai que se perdeu no meio deste. 


Genesis amat e tera


Terá realmente era pai de Abrahão, Harã e Naor e Sarai não há relatos que os três meninos eram filhos de mães diferentes ou da mesma mãe.

Devido a está incerteza de informação e para o andamento da trama supostamente, na novela Naor é filho de Nadi. 


Terá e Amat cena novela


O mesmo acontece com Sarai, não há relatos do nome de sua verdadeira mãe, apenas que era filha de Terá com outra mulher, logo a trama usou estas lacunas, para criar o ritmo da novela. Provavelmente a personagem Danina também não existiu. 

  • Primeira fase Amat em Gênesis 

A primeira fase de Ur é marcada pela chegada de Terá (Angelo Paes Leme) e Amat (Branca Messina) a cidade, ela estava grávida de Abrahão e não gostava das roupas das mulheres de Ur dos Caldeus. 

Ela chegou a ser confundida com uma serva durante uma festa no palácio, devido a sua vestimenta. 

Amat (Branca Messina) é descrita como uma pessoa sábia, paciente, ao contrário de Nadi (Camila Rodrigues) uma mulher egocêntrica, vaidosa e explosiva. 

  • Gênesis: Amat segunda fase 

Na segunda fase dez anos se passaram, nesta a personagem precisa lidar com a traição de Nadi (Camila Rodrigues), que se fazia de amiga da Amat enquanto tinha um caso com o marido dela. 

Nas imagens a seguir vocês estão vendo os primeiros figurinos de ambas personagens, na cena de chegada a Ur dos Caldeus. Vejam que não há diferenças gritantes nos figurinos das duas. 


Nadi, Terá e Amat chegando em Genesis


E na segunda imagem após a passagem de dez anos, por mais que Amat (Branca Messina) pudesse ter mudado a forma de se vestir, ela continuava sendo a mesma pessoa, enquanto o mesmo não ocorreu com Nadi (Camila Rodrigues), que passou a usar roupas mais ricas em detalhes, com brilhos, além dos acessórios.

 Afinal ela se tornou uma sacerdotisa, logo tinha poder e status na cidade, basicamente Nadi (Camila Rodrigues) se tornou outra pessoa. 


Amat, Terá e Nadi cena



O figurino da Amat (Branca Messina) ficou bem mais rico em detalhes, e ela passou a usar cabelo preso, além de ter uma casa mais luxuosa e duas servas, uma delas sua amiga Danina, que acaba engravidando de seu marido.  


Figurinos da Amat em Gênesis



Assim mesmo a Amat (Branca Messina) ampara a Danina e  anos depois aceita o casamento de Abrahão com Sarai. 

Mais velha e com os filhos crescidos, ela se dedica a seus netos (filhos de Harão), enquanto Amat tem filhos trabalhadores e ajuizados, Nadi (Camila Rodrigues) tem um filho irresponsável, mimado e sem carater. 


Amat em genesis


Como já comentamos inúmeras vezes por aqui, o lugar em que você vive e sua personalidade moldam a forma como você se veste.

Logo vejam o post que fizemos sobre os looks da Nadi (Camila Rodrigues) e entendam melhor a diferença entre as duas personagens. 


LEIA TAMBÉM: 



Ao aceitar o casamento de Terá com Nadi, ela deu a oportunidade a ele de ter duas casas, duas famílias, além de duas esposas diferentes e oportunidade dele ver o erro de que cometeu.  

Mesmo com a idade a Nadi (Camila Rodrigues) não melhorou sua personalidade, enquanto Amat continuou sábia, recatada e com muito sangue de barata, totalmente o contrário da Nadi. 

A primeira imagem do post é a personagem depois de 15 anos após a segunda fase. 

Referências: 

Comentários

Tema do Mês